Empresas em crescimento:a organização a reboque do mercado - TGI Consultoria

Empresas em crescimento:a organização a reboque do mercado


As empresas, de um modo geral, têm um ciclo de vida que pode ser dividido, grosso modo, em três tempos, conforme concepção original de Henry Mintzberg, citado por Thomaz Wood Jr:
“… elas nascem sob a égide do empreendedorismo, ‘evoluem’ inexoravelmente para modelos burocráticos e declinam sob o peso dos jogos políticos internos. A lógica é implacável: na fase empreendedora, o próprio crescimento determina a adoção de normas e procedimentos, burocratizando a empresa; na fase posterior, a burocracia sedimentada alimenta os jogos políticos, provocando o declínio.â€?
Thomaz Wood Jr., revista Carta Capital, 19.07.2000
É, portanto, não só legítima como previsível a preocupação das empresas que estão em fase de crescimento com a sua organização interna. Afinal, elas precisam “suportarâ€? o crescimento com uma estrutura adequada. O cuidado, todavia, deve ser redobrado com a burocracia.
“… quando pressionados pela necessidade de estruturar a empresa, empreendedores muitas vezes buscam um porto seguro em organogramas e normas. Em outra palavras, burocratizam a empresa. (…) O problema é que, dez descrições de cargos depois, percebe-se que o atalho leva de volta ao ponto de partida. Ocorre que organizar não é o mesmo que burocratizar.â€?
Thomaz Wood Jr., revista Carta Capital, 19.07.2000
Burocratizar é mais fácil que organizar que, por sua vez, é mais fácil que crescer. Portanto, quando a empresa está em fase de crescimento, a prioridade deve ser consolidar o mercado, valendo-se da organização necessária mas sem burocracia.
Ocorre que a burocracia é insidiosa porque  se sustenta na mediocridade. Todo medíocre se apega a ela como um náufrago se agarra a uma tábua de salvação no mar revolto do mercado, na ilusão da segurança.
“A burocracia é um mecanismo gigantesco operado por pigmeus.â€?
Honoré de Balzac, 1799-1850, escritor francês
Como, durante a fase de expansão, a organização vai a reboque do mercado, há sempre o risco adicional de, quando arrefece o crescimento, a inércia da organização atropelar a gestão como a carga de um caminhão atropela a boléia quando há uma freada brusca. E, geralmente, esse atropelo se dá sob o peso da burocracia.
Por analogia, pode-se dizer que quando uma empresa está muito concentrada na organização interna, há alguma coisa errada com o seu mercado já que muita energia está sendo direcionada para dentro quando deveria estar voltada para fora. Segundo o decano dos gurus da administração de empresas, Peter Drucker, é um grande desperdício colocar pessoas competentes para cuidar só de problemas internos. Elas deveriam estar cuidando das oportunidades de mercado.
“As pessoas eficazes não vivem voltadas para os problemas, elas vivem voltadas para as oportunidades.â€?
Peter Drucker
Portanto, apesar de legítima, a preocupação com a organização interna nas empresas em crescimento não deve ser excessiva. É mais saudável, do ponto de vista estratégico, por exemplo, “faltar espaçoâ€? (um “bomâ€? problema, muito comum no crescimento) do que sobrar espaço, um “malâ€? problema sintomático  de quem já teve o mercado “atropeladoâ€? pelo excesso de organização.
Por isso, o gestor do crescimento deve ouvir com paciência as inevitáveis reivindicações por “melhores condiçõesâ€? de trabalho mas deve ter todo o cuidado com a burocracia para não ser atropelado por ela.